HORA CERTA

terça-feira, 17 de agosto de 2010

TRABALHO ESCOLAR E TEORIAS ADMINISTRATIVAS



UNIDADE I – Concepção de educação: a relação escola-sociedade como ponto de partida e de chegada

Nesta unidade verificamos como que a educação é gerada como pratica social dentro da necessidade da sociedade local. Pois nem sempre o que atende a nossa necessidade pode satisfazer as necessidades de outra localidade.
Cada povo tem sua própria historicidade, por esse motivo a escola precisa construir sua própria historia, a partir de ação conjunta dos seus atores.
Umas das principais concepção de educação, estão vinculadas a dois grandes paradigmas: o paradigma do consenso e o do conflito.
O paradigma do consenso – diante várias teorias que explicam a educação, destaca-se aquela vinculada ao funcionalismo. De caráter conservador, o funcionalismo percebe a sociedade como várias partes interdependentes que, desempenhando funções especificas, devem ajudar na manutenção do equilíbrio social. Preservando assim as estruturas sociais e não o individuo. E nessa visão a educação é concebida como fator de equalização social. Vinculada ao paradigma do consenso, no século XX nas primeiras décadas, nessa concepção a educação escolar era vista como “salvadora” de todos problemas sociais.
Para o teórico Émile Durkhein (1858-1917), a educação apenas alcançará seus objetivos plenos se for realizada de acordo com os interesses que a sociedade estabelece como condições necessárias à sua própria manutenção.
Na visão funcionalista, a educação é reduzida a um mecanismo adaptativo do homem à sociedade, restringindo-se à mera transmissão de conhecimentos, fazendo com que tradições e regras sociais sejam defendidas, com o objetivo de manter o equilibro social.
Na concepção de Karl Mannhein que, defendendo a necessidade técnicas sociais para o planejamento de uma sociedade democrática, vê a educação como uma dessas principais técnicas. Onde prepara o individuo para viver numa sociedade que seja o resultado de um planejamento democrático e racional.
Mas como o tempo não para, e as transformações políticas, econômicas e sociais aconteceram e acontece a todos os momentos, fizeram que a educação fosse pensada e vivida de forma diferente.
Após a 1ª Gerra Mundial (1914-1918), houve uma intensa repercuçao em vários setores sociais.
Escola Nova, uma nova concepção de educação; onde propunha uma pedagogia ativa. Onde John Dewey parte para o principio que “educação não é preparação para a vida, mas é a própria vida”. Onde o individuo se educa através do processo ativo de construção e reconstrução da experiência, o que caracteriza a educação como um processo fundamentalmente social.
No inicio da década de 1960, o pensamento conservador na educação assume uma nova roupagem, por meio dos programas de educação compensatória. Partindo da necessidade de a escola compensar as deficiências resultantes do ambiente pobre em que vivem as crianças da classe trabalhadora. Definindo o papel da educação como veiculo equalizador das desigualdades sociais, de deficiências desde questões de saúde, nutrição e familiares até outras de natureza emotiva, cognitiva e lingüística.

Denuncias e Propostas do Paradigma do Conflito

O paradigma do conflito entende-se que toda sociedade possui contradições internas fortes o suficiente para levar à sua própria superação.
E esses conflitos são visto como necessário à organização social, pois representam as relações dos homens entre si, no mundo social. Tendo como base o Marxismo e, adota o homem como centro do mundo e como processo de suas ações.
Nesse impasse a realidade social influencia todas as concepções educacionais do paradigma do conflito, como:
A- Educação como fator de reprodução cultural, onde um grupo de teorias educacionais marxistas é denominado de crítico-reprodutivistas e, em geral, percebe a educação como fator de reprodução cultural. A teoria mais debatida é a de Louis Althusser, para quem o trabalho da escola é escolher um saber único e passa-la a indivíduos.
B- Educação como fator de resistência e transformação social – as limitações das teorias critico-reprodutivistas levaram à necessidade de elaboração de outra abordagem mais recente do paradigma conflito. Onde trabalha com a idéia de resistência. Henri Giroux é um dos representantes dessa teoria que apresenta certa esperança emancipatória do trabalho da escola.
Como o conhecimento nos possibilita distinguir a realidade social. A educação pode ser considerada como fator de transformação social, já que uma classe social só pode impor-se sobre outra fazendo valer sua visão de mundo e seus interesses. Nessa posição a pratica educativa assume um caráter politizador, capaz de ajudar a rever o caráter classista que tem se manifestado, historicamente, na função da escola.


UNIDADE II – As organizações como característica fundamental da sociedade moderna

O trabalho desempenhado na escola depende da participação dos diversos grupos que a compõem, portanto, ela é uma organização – precisa desempenhar sua função social: Formar indivíduos numa visão critica, democrática e emancipatória.
O homem – ser social, portanto, necessita socializar-se. Ele é limitado e precisa cooperar com seus pares para que também possa alcançar seus objetivos.
E nessa interação entre homens surgem as organizações que são formadas por grupos.
Na sociedade há dois tipos de grupos-primários, a família. E secundários onde se mostram menos coesos, menos íntimos, mais formais, e com normas de convivência mais explicitas.

Como surgiram as organizações no mundo moderno?
Através da evolução humana houve a necessidade do homem se organizar, para delimitação de bens patrimoniais, territoriais, onde surge a forma organizacional política como a do Estado.
A complexidade das relações entre os homens ocorre, de forma bastante acentuada.
Já no século XIX as mudanças foram bem intensas, onde apareceram inúmeras organizações industriais, porém não de forma estruturada, pois a forma de administração deixava a desejar.
Portanto, com a complexidade da sociedade, ela sentiu a necessidade de buscar outras formas de viver, tal como, desenvolver processos visando à administração dos recursos e das relações entre os grupos.
Com o surgimento das muitas transformações no mundo principalmente as relacionadas à tecnologia, fizeram com que as organizações, se interasse e assumisse essas mudanças, inclusive as escolas.


2.2 UMA PRIMEIRA APROXIMAÇAO DO CONCEITO DE ORGANIZAÇÃO.

As organizações serviram para o homem buscasse soluções coletivas para os seus problemas.

Organização – modo pelo qual as partes interessadas se dispõem para cumprir certas funções já pré-estabelecidas, e de forma estruturada para alcançar a meta da própria organização, e essa meta é sua própria sobrevivência.
As organizações constituem sistemas complexos que interagem constantemente com outros sistemas e, com grande complexidade.

Organização é uma forma de se estruturar afim de alcançar os objetivos específicos que se almejam..........é sistematizar para uma melhor interação e resolução da organização.

2.3 Classificação das Organizações
Temos: Públicas e privadas; pequenas, médias e grandes; de participação obrigatória ou voluntária; econômicas, políticas, religiosas, educacionais etc; de produção ou de serviço; de associações de beneficio mútuo e/ou empresas comerciais etc.
As organizações podem ser classificadas como:
coercitivas – onde constitui-se na principal forma de controle sobre os membros, exemplos, prisões, entidades que abrigam menores infratores e doente psíquicos.
Utilitárias – são aquela tem como principal forma de controle sobre os seus membros a recompensa, pela qual pode ser de natureza diversas – fabricas, bancos, repartições governamentais, empresas médicas etc.
Voluntárias – são aquelas que os membros podem entrar e sair livremente, com finalidade especifica. Esses membros não são remunerados, embora possam ser se a organização oferecer condições para tal. – igrejas, clubes, organizações não-governamentais.

Organização utilitária – educacionais e bancárias.
Organização voluntárias – igrejas, clube (CTG).

A escola, é uma organização formal de serviços, e sendo assim reconhecemos que trabalhamos para um publico que se beneficiam de nossos trabalhos. Por esse motivo devemos desempenhar nossas funções com ética e transparência.

2.4 Niveis de participação dentro das organizações
conforme as teorias administrativas os indivíduos concebem participação dentro das organizações de formas variadas.
Temos dentro das participações dentro de uma organização – Informação – onde os dirigentes informa os membros sobre decisões que, tomadas por instancia superiores, que devem ser acatadas por todos. Consulta facultativa – esta podem serem consultada aos membros pelo dirigente, onde solicitam criticas, sugestões visando a solução do problema. Consulta obrigatória – embora o subordinado seja consultado em certas ocasiões, a decisão final continua sendo dos superiores na administração da organização. Elaboração/recomendação – os subordinados elaboram propostas e sugerem medidas em relação a determinado problema onde pode acatar ou não. Co-gestão – este é superior aos anteriores, a administração é compartilhada por meio de mecanismos de co-decisão, geralmente em colegiados todos tem poder de voz e voto. Delegação - superior a co-gestão, esta permite aos subordinados um considerável nivel de autonomia em relação a determinadas áreas e/ou campos da oraganizaçao da qual fazem parte. Por ultimo tem a autogestão – o grupo estabelece os objetivos da organização, os meios que julga os mais adequados para alcanç-a-los e os mecanismos de controle pernitentes.

2.5 Mas, por que a escola é diferente das demais organizações sociais?
Uns dos fatores que diferem as escolas das demais organizações são por que ela trabalha para o desenvolvimento de pessoas para adquirem conhecimentos, e adquirirem competências em toda sua integralidade, para desempenhar seus papeis que assumirão em outras organizações e na sociedade como um todo, onde irá contribuir para a transformação dessa mesma sociedade.
Segundo a definição de Bourdignon e Gracindo(2001) – a especificidade da organização educacional é definida por alguns fatores que a torna singular, diante que quaisquer outras organizações sociais. Esses fatores são: a finalidade, a estrutura pedagógica, as relações internas e externas, o resultado de produção. E segundo eles a produção da escola, não esta definida na padronização, mas na produção de seres emancipados, autônomos, não-autonomos e a na produção da equidade, da justiça social.


UNIDADE 3
TEORIAS ADMINISTRATIVAS: FUNDAMENTOS CONCEITUAIS E HISTORICOS DA ADMINISTRAÇÃO

Teorias administrativas – baseadas nas teorias de natureza prescitiva e normativas, e teorias de natureza explicativa e descritiva.

3.1 Abordagens prescritivas e normativas: Administração Cientifica, Teoria Clássica das Organizações e Escola das Relações Humanas. Essas teorias foram exemplificadas por terem um ponto comum entre si.
a) Teoria da administração cientifica – tem essa denominação por ser de ordem especificamente técnica. Essas abordagem procurava ao mesmo tempo reduzir o desperdício e elevar o índice de produtividade. Taylor, foi seu fundador, era engenheiro norte americano que influenciou muitos seguidores. E esses pensadores defendiam que o salário deveria ser proporcional à produção. Não lhes eram de interesse as necessidades dos trabalhadores, mas sim o lucro e acumulação de capital.
O taylorismo é uma doutrina econômica e tecnocrata sobre a organização do trabalho, destinada a obter o máximo de rendimento, com o mínimo de esforço e no menor espaço de tempo. Essa doutrina defende a especialização de funções em detrimento de fatores humanos, sociais ou psicológicos. As tarefas que foram simplificadas e padronizadas, com o objetivo de permitir a especialização do trabalhador e o aumento dos índices de produtividade. Onde podemos dizer que essa abordagem considerava o homem apenas como uma maquina que, se regulada adequadamente, teria a capacidade de realizar atividades de maneira repetitiva e igual.
Teorias administrativas – baseadas nas teorias de natureza prescitiva e normativas, e teorias de natureza explicativa e descritiva.

A criação dessa escola foi uma forma de oposição ao pensamento de Taylor e Fayol, por entender que as pessoas são elementos mais importantes dentro de uma organização. Na Escola de Relações Humans, o papel dos chefes é associado ao trabalo com as necessidades das pessoas como seres sociais, visando ao alcance dos objetivos da organização. Assim, o trabalhador é motivado, principalmente, por recompensas sociais e simbólicas, e não pela necessidade de ganhar mais dinheiro.
3.2- Abordagens descritivas e interpretativas das teorias administrativas
essa teorias administrativas procuram abordar o comportamento dos indiiduos dento das organizações numa perspectiva descritiva e interpretativa.
A)- Teoria comportamental – ela se inclui entre as teorias descritivas e interpretativas, sobretudo por direcionar suas preocupações para a pessoa humana. Essa teoria enfatiza que todas as pessoas dentro de uma organização, possam tomar decisões relacionadas ou não com o seu trabalho.
b)- Teoria da Burocracia – Como a administração clássica e a Escola das Relações Humans possuem aspectos que se opõem, em relação à vida nas organizações. A teoria da Burocracia cresceu com a sistematização pelo sociólogo alemão Max Weber.
Os princípios da teoria da burocracia foram inicialmente incorporados às atividades governamentais, porem hoje está fortemente presntes em quase todos os setores da economia, bem como nas organizações escolares.
Max Weber distinguiu três tipos de sociedade e autoridade: sociedade tradicional ( tribos, clã, família), sociedade carismática (partidos políticos, grupos revolucionários, nações em revolução); sociedade burocrática ( estados modernos, empresas e exércitos).
De acordo com essa teoria, dentro das organizações deve-se buscar a eficiência máxima por meio da padronização do desempenho humano.


Nossa sociedade é burocrática, precisamos repensar, os princípios dessa teoria, considerando-se as transformações emergentes em nossa realidade.

C)- Teoria da Contingência – vivemos num período de aceleradas transformações. No interior das organizações, tem exigido novas formas de administração e questionado as já existentes. Não há como defender a generalização dos princípios para todas as organizações, tem que obedecer o tempo, as mudanças e transformações.
Os sistemas abertos estão em constantes mudanças. Por isso, são mais flexíveis, com uma grande capacidade de transformação e adaptação às novas circunstancias. Esse tipo de sistema reconhece a existência de uma estrutura composta de partes integradas e interdependentes e o fato de que mudanças em uma das partes afetarão as demais.
Essa visao que cada situação vivida pelos membros de uma organização é única – essa idéias favoreceram o surgimento de uma outra abordagem das organizações: a Teoria da Contingência. Essa teoria defende que não há nada de absoluto nas organizações ou mesmo na teoria administrativa. E sim uma relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas administrativas apropriadas para o alcance eficaz dos objetivos de qualquer organização.
Um dos princípios que fundamenta a Teoria da Contingência é que não há uma única maneira de administrar. As organizações precisam estar sistematicamente sendo ajustadas às condições ambientais.
Nesse raciocínio, foram realizado estudos objetivando melhor entender a natureza e o funcionamento das organizações no mundo atual.
Enfim, essa teoria demonstra que para administrar uma organização é preciso encontrar seu próprio modelo, pois não há uma formula pronta e acabada. Não há padrão.

3.3 O que a escola tem a ver com tudo isso?
A escola é influenciada pelo pensamento administrativo, essas tendência são basicamente três: tendência conservadora, tendência democrática e tendência gerencial.
a)- tendenca conservadora – é identificada, desde 1930 a 1970 e tem suas raízes no modelo tradicional da organização escolar: burocrática, hierarquizada, rígida e formal. Esse modelo enfatiza a obediencas às normas, valorizando a obediência às regras e ao formalismo, em detrimento, por exemplo de aperfeiçoamento profissional. Essas tendências da administração escolar mantem relações com as teorias de administração cientifica e Teoria Clássica.
A partir de 1989, mediante o surgimento dos movimentos sociais, surge a tendência democrática. Em geral se opõe às idéias conservadoras. Essa tendência perceberá a escola como uma organização em constante construção; um espaço publico no qual devem ser expressas as opiniões e interesse dos diversos grupos que formam a escola.
A tendência Gerencial – surgiu nos anos 1990, substituindo os eixos da democratização pelo discurso administrativo-economicista. Essa tendência busca não a qualidade do ensino, mas, sobretudo, a qualidade do gerenciamento da escola, em suas diversas área de atuação, além de enfatizar o controle dos processos escolares.

Política Educacional – tem por objetivo atender as necessidade do povo e de solucinar problemas educacionais diversos, inclusive alguns que estão presentes em nossa realidade; que é o analfabetismo.

As ações definidas pela política educacional brasileira: elaboração dos Parâmetros Curriculares Nacionais/PCN; definição das Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio/DCNEM; realização da avaliação de desempenho de todo o sistema educacional, traduzida nas ações do sistema nacional de Avaliação de Educação Básica/SAEB, Exame Nacional do Ensino Médio/ENEM, e do Sistema de Avaliação da Educação Superior/SINAES.


4.3 – Planejamento Educacional
O ato de planejar sempre fez parte da vida do homem. Planejamento é um processo que é discutido nas suas próprias concepção com o propósito de pensar sobre os melhores meios de se realizar uma determinada tarefa.
Educação é a apropriação da cultura humana produzida historicamente e que a escola é a instituição que oferece a educação sistematizada. Por este motivo ela deve ser planejada pelas mais diversas instancias do sistema.
Planejamento Educacional se apresenta nos vários níveis. Temos:
-Planejamento Educacional - é incorporado pelas políticas educacionais, e é feito em nivel nacional, estadual e municipal;
-Planejamento Curricular – É o processo de tomada de decisões sobre a dinâmica da ação escolar. É previsão sistemática e ordenada de toda a vida escolar do aluno.
-Planejamento Escolar – É o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão e decisões sobre a sua organização, o funcionamento e a proposta pedagógica, ou seja, é um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social.
-Planejamento de Ensino – É o processo de decisão sobre atuação concreta dos professores, no cotidiano de seu trabalho pedagógico, envolvendo as ações e situações, em constantes interações entre professor e alunos e entre os próprios alunos.
-Plano – É o planejamento colocado no papel. Seu primeiro item a ser registrado deverão ser o objetivos, que dizem exatamente o que se quer conseguir. Nele são mencionadas as decisões do tipo: o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer, com quem fazer.
-Projeto – É também um documento, produto do planejamento, porque nele são registradas as decisões mais concretas de propostas que se deseja realizar. Traduz uma tendência natural e intencional do ser humano, à medida que este vive em função de projetos.
-Programa – Conjunto de um ou mais projetos de determinados órgãos ou áreas, com um período de tempo definido.

O planejamento educacional deve ser realizado pelas esferas federal, estadual e municipal, considerando diversas variavies, como as sociais, políticas, culturais, filosóficas, econômicas, legais, ecológicas, demográficas, tecnológicas, ect. O planejamento deve ser definido tendo como referencia a relação educação e sociedade. Devem ser considerado também as políticas educacionais e seus resultados em um determinado período de tempo; o contexto social mundial, nacional, regional e local; indicadores de matricula, evasão, aprovação/repetência e recursos materiais e humanos dos sistemas escolares.
Enfim, planejamento é um processo por excelência, visto que promove mudanças que permite pensar, implementar e avaliar as políticas educacionais.
Para se obter um bom planejamento, deverá conter as determinadas caracteristas a seguir:
 Participação – incorporar todos os envolvidos com a instituição, para que tenha a chance de ser bem executado.
 Objetividade – Direto e centrado, com palavra claras e coesas.
 Coerência – Lógica obedecendo os objetivos, recursos, tempo, onde haja possibilidade de executa-lo.
 Exeqüibilidade – deverá apresentar condições possíveis para sua realização, de acordo a realidade para a qual se destina.
 Flexibilidade – haja facilidade e possibilidade de ser modificado para atender situações não previstas.
 Continuidade – Todas as atividades e ações previstas devem estar integrada do começo ao fim, isto é, seqüencial.
 Contextualização- Temo e espaço definidos, e seja dentro do contexto social em que está inseriodo.
 Clareza – A linguagem utilizada na elaboraçao do planejamento deverá ser simples e clara, sem dupla interpretação.

A relação entre política   planejamento   legislação educacional – uma política educacional é mais abrangente do que a legislação educacional, portanto, podemos afirmar que, a política educacional é a operacionalização de legislação educacional e, simultaneamente, orienta a formulação das leis educacionais.
Planejamento é um meio de implantação das políticas estabelecidas, é um mecanismos técnico-operacionais onde transforma diretrizes, objetivos e orientações gerais em planos, programas ou projetos para orientar, conduzir e avaliar execução das atividade e tarefas educacionais. Portanto, políticas educacionais e o planejamento educacional é traduzido em ações concretas no cotidiano da escola.


4.4 A QUESTÃO ATIVIDADES-FIM E ATIVIDADES-MEIO NA EDUCAÇAO.

Atividades-fim – tem relação direta com todos os aspectos relacionados ao processo de ensino e aprendizagem.
Atividades-meio – não possuem relação direta com o processo educativo, porém contribuem para que esse processo se torne mais efetivo; estes se relacionam às condições físicas, financeiras e materiais necessárias à sua operacionalização.
Neste contexto a escola tem que se orientar nas três dimensões: pedagógica, política e administrativa, através de planejamento, coordenação, controle e avaliação das ações que integram cada um deles e analisando os resultados alcançados.

UNIDADE 5
PLANEJAMENTO ESCOLAR: diagnóstico, programação e avaliação.
5.1 –IMPORTANCIA E CONTEXTUALIZAÇAO DO PLANEJAMENTO ESCOLAR
Para elaboração do planejamento da escola, a escola tem que visar o tipo de educação que deseja ofertar, fazer um diagnóstico, montar uma programação, manter-se em controle sob ação de avaliações e acompanhamentos das ações realizadas.

5.2 –Fases do planejamento escolar
O planejamento educacional dever possuir caráter participativo; onde os indivíduos são mobilizados a participarem ao objetivo da escola, que é a qualidade dos serviços prestados.
As fases do processo de elaboraçao e implementação do planejamento educacional podem ser classificadas de diversas maneiras. Entretanto, essas classificação convergem para as fases de:
1ª Fase – diagnóstico – levantamento minucioso das reais necessidades da escola voltadas a ação dos vários segmentos, e em toda sua dimensões, mapeando pontos forte e fracos presente no trabalho da escola, e possíveis riscos.
2ª Fase - programação – definição clara e especifica de metas a serem alcançadas pela escola em seu trabalho cotidiana.
3ª Fase – acompanhamento e avaliação – esta deve ser executada desde o diagnóstico e a programação das ações, até o fim do planejamento. Usando critérios previamente definidos, o alcance dos planos traçados. O acompanhamento tem como objetivo coletar dados e produzir informações, para que decisões seja tomadas afim de corrigir, reforçar ou mudar a direção das ações programadas. Avaliação, deve ser continua e diversificada, de forma a fornecer informações sobre o andamento das atividade programadas. Usando os questionamentos: o processo está indo bem? Os objetivos definidos na fase anterior estão sendo alcançados? São necessárias algumas modificações no que foi previsto?

PLANO   PLANEJAMENTO – Para que haja um planejamento é preciso que tenha algo a planejar e, esse instrumento é o plano.
O plano é o produto final do planejamento. O plano é, o documento que define decisões, objetivos, estratégias, instrumntos, recursos e prazos para o alcance dos reultados. Plano é, assim, a apresentação organizada e contextualizada das decisões tomadas pela escola levando em conta o conjunto de ações que pretende realizar. Plano é um guia que orienta a pratica escolar.

UNIDADE 6
ÉTICA E TRANSPARENCIA NO SERVIÇO: compormisso de todos na construção da cidadania.
As repartições públicas e a própria escola no seu momento de planejamento, execução e avaliação feita de forma participativa, democrática e transparente está fortalecendo e valorização a ética. Também nos momentos em que estão cumprindo os seus serviços de maneira responsável, e respeitando a cada individuo e suas diferenças, a ética também está sendo evidenciada.
Pelo crescimento desenfreado e grandes mudanças, a ética tem sido um desafio e, temos muito que refletir em todo o meio social, principalmente nas áreas educacionais.
Os valores éticos não deve ser apenas objeto de reflexão e discussão, mas tem que haver evidencias em cada membro de uma organização, a sociedade precisa voltar-se a esses fatos para que esses valores não se percam.

6.1 O que podemos entender por ética?
A ética é o modo de ser ou maneira como cada individuo se organiza dentro da sociedade, usando um padrão de comportamento voltado ao respeito aos princípios morais e dignidade humana. Também um padrão de comportamento de um determinado grupo de pessoas, onde pode ser relacionado a um código de ética da profissão.
Para que possamos entender bem o que de fato é ética, precisamos compreender o que é conceito moral. Moral quer dizer costume, um conjunto de regras, normas e valores que estão estabelecida no âmbito de uma determinada comunidade social, com o objetivo de tornar possível a convivência humana.
Enquanto a moral refere-se às normas de comportamento, a ética procura definir os fundamentos e o alcance das regras morais sobre as ações humanas.



Reflexão pagina 88 - não podemos viver sob nosso próprio consenso, pois se vivemos e participamos numa comunidade devemos nos portar de maneira que, possamos satisfazer os padrões éticos, morais estabelecidos na comunidade social que convivemos.


6.2 – Que princípios orientam a ética no serviço público, como exemplo na escola?
Na Constituição Federal/88 esses princípios estão registrados que a legalidade – o reconhecimento da lei uma das mais importantes condições para assegurar a vida em comum. Impessoalidade – esse princípio evitam condutas de preferências, privilégios e/ou diferenças. Onde há o senso de diferenciar entre o publico e o privado; a igualdade de tratamento entre todos, portanto, devem receber o mesmo tratamento. Moralidade –conduta ética dos servidores públicos de acordo ao padrão ético definido pela sociedade, e não obedecido ocorre a violação dos direitos humanos. Publicidade – tornar se publico as ações dentro do setor publico evidencia, o prestar contas a sociedade, tornar transparente o fazer público.
Esses princípios asseguram ao cidadão do não abuso de autoridade, embora hoje esteja abalado, mas nós devemos nos organizar para que esses princípios sejam evidenciados em cada repartição pública, pois são eles que redimensiona a cidadania, e pode contribuir para a democratização das organizações.

Quanta a legalidade, nos esforcemos para que tudo esteja na legalidade em que prescreve a lei, como também divulgar as normas dessas leis a comunidade, quanto a impessoalidade, eu acho que devemos refletir e debater muito sobre esse principio, pois estamos a desejar, principalmente onde se diz – somos iguais temos o mesmo valor. A respeito a moralidade, alguma coisa tem que ser redimensionada e repensada . Quanto a publicidade do fazer público temos divulgado nosso trabalho, expomos em mural os recebimentos as prestações de contas, enfim praticamos transparência em nosso trabalho.
b- Com já enunciado acima a legalidade e transparência.
c- Impessoalidade será um ponto a ser refletido para que possamos atingir padrão de ética.
d- uns dos fatores são preferências, privilégios, a desvalorização do que é publico, tratamento desigual.
d- uma maneira que pode ajudar será sentarmos para avaliar todo o trabalho que envolve nossa instituição, diagnosticar e procuram meios, ações para sanar essa dificuldade que tem afetado a escola.

6.3 – O alcance da responsabilidade e da transparência na administração pública.
Ser responsável no fazer público, é desempenhar a função a qual ocupa, e também se responsabilizar por aquilo que deixou de fazer

Por existir ética no serviço público somos obrigado a responder por nossas ações, decisões e escolhas diante de uma instancia, a própria cidadania. Nossa conduta profissional tem que estar enquadrada dentro dos padrões éticos.
Para que a cidadania seja fortalecida e valorizada se faz necessário a cobranças das condutas éticas.












Resumo

A educação é gerada acordo a suprir as necessidades sociais da sociedade, portanto cada escola tem sua própria identidade.
A educação veio ao longo dos anos sofrendo influencias capitalistas, e se arrastando até os anos de 1980.
Com as transformações políticas, econômicas, tecnologicas e sociais, foi necessário um pensar pedagógico diferente, mais abrangente onde prepara o individuo para que possa exercer a cidadania, possa desencadear transformações sociais, possa ser pessoa crítica.
Na unidade II – vimos que nas escolas as praticas educacional deve ser desempenhado de maneira coletiva, para que a sua função social seja cumprida.
O homem é social, portanto, necessita socializar-se, é limitado, portanto, precisa cooperar com seus pares. Dessas necessidades surgiram as organizações.
Com o desenvolvimento e o progresso o homem se viu na necessidade de se organizar para controle tanto de bens próprios, como desenvolver organizações políticas para administração do Estado.
Nos últimos séculos, com as grandes mudanças e transformações em todos as instancias, fizeram com que o homem buscasse soluções coletivas para seus problemas.
Surgindo então as grandes organizações sistematizada onde interagem com outros sistemas de maneira complexa.
Essas organizações estão classificada em públicas e privadas, pequenas, médias e grandes; de participação obrigatória ou voluntária; econômicas, políticas, religiosas, educacionais etc; de produção ou de serviço; de associações de beneficio mútuo e/ou empresas comerciais etc.
As organizações podem ser classificadas como: coercitivas, utilitárias, Voluntárias.
Visto que, a escola é uma organização onde fornece seus serviços ao público, esse fazer deve ser desempenhado de modo ético e transparente.
O que difere a escola das demais organizações é o fato de que o fazer da escola em toda sua amplitude é voltado ao pedagógico, seu planejamento é construído a cada momento onde está voltada a formação do individuo.
Já a administração é voltada ao lucro, a produtividade, ao capital da empresa. O homem era considerado como máquina.
Com estamos vivendo num período de aceleradas mudanças e transformações, há uma exigência de novas formas de administração, onde haja flexibilidade, para que possa ser transformado e adaptado as novas circunstancias, e estarem sistematicamente ajustadas às condições ambientais.
A escola veio caminhando sempre a influencia administrativa; onde passou a ser conservadora, democrática e gerencial, essas influencias deixou a educação muito a desejar.
Com a organização da sociedade em busca de melhorias e uma educação de qualidade, voltada a formação integral do aluno surgiram as políticas educacionais, com o objetivo de atende as necessidades do povo, e solucionar os problemas educacionais, como analfabetismo, avaliação da educação básica e educação superior.
Vimos que o planejamento é um meio eficiente para execução de uma proposta. Temos no Planejamento Educacional – políticas de governos para melhoria da educação. O planejamento curricular onde a escola sistematiza a dinâmica da ação escolar.
-Planejamento Escolar – É o planejamento global da escola, envolvendo o processo de reflexão e decisões sobre a sua organização, o funcionamento e a proposta pedagógica, ou seja, é um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social.
-Planejamento de Ensino – É o processo de decisão sobre atuação concreta dos professores, no cotidiano de seu trabalho pedagógico, envolvendo as ações e situações, em constantes interações entre professor e alunos e entre os próprios alunos.
-Plano – É o planejamento colocado no papel. Seu primeiro item a ser registrado deverão ser o objetivos, que dizem exatamente o que se quer conseguir. Nele são mencionadas as decisões do tipo: o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer, com quem fazer.
-Projeto – É também um documento, produto do planejamento, porque nele são registradas as decisões mais concretas de propostas que se deseja realizar. Traduz uma tendência natural e intencional do ser humano, à medida que este vive em função de projetos.
-Programa – Conjunto de um ou mais projetos de determinados órgãos ou áreas, com um período de tempo definido.













REFLEXAO -Você acredita que, de fato a escola deve assumir e possui o poder de compensar as desigualdades sociais dos indivíduos que a ela tem acesso?
De maneira algumas a escola conseguirá suprir as deficiências geradas em lar desequilibradas, de doenças, de desigualdades sociais, pois essas deficiências abrangem todo a estrutura do individuo desde seus primeiros dias de vida. Como a escola iria compensar essa falha? Não tem como. Mas sim de estruturar o individuo para que possa ser autor de sua própria vida e transformador da sociedade em que faz parte.


Pagina Nº 18
Em sua experiência de vida e profissional, você já parou para pensar como a escola lida com diferentes visões de mundo presentes na realidade social, embora uma ou outra predomine sobre as demais?
R

Página 21
É possível a escola ser a redentora dos problemas presentes na sociedade?


Página 23
A participação é um dos elementos constitutivos da democracia. Então, a até que ponto é democrática uma sociedade planejada apenas por alguns, para ser vivida por todos?


Página 24
Você acredita que, de fato, a escola deve assumir e possui o poder de compensar as desigualdades sociais dos indivíduos que a ela têm acesso?


Página 28
Na relação escola versus sociedade, ocorrem processos de desgaste e renovação das concepções de educação. Assim, é possível encontrarem-se elementos repetitivos de um lado e inovadores do outro, conforme você já deve ter verificado em sua atuação profissional.


Página 34

Você já se perguntou como surgiram as organizações, como, por exemplo, aquelas de natureza educacional?


Página 50
Você sabia que, no contexto histórico de surgimento da Administração Científica – final do século XIX e
início do século XX – as condições de trabalho eram desumanas, os salários bastante baixos e as jornadas de trabalho muito longas?


Página 56
Os princípios da Teoria da Burocracia foram inicialmente incorporados às atividades governamentais, porém hoje eles se fazem fortemente presentes em quase todos os setores da economia, bem como nas organizações escolares. Você já parou para pensar sobre o que é burocracia e as repercussões desta em suas atividades profissionais cotidianas?



Página 57

A burocracia concebe a organização como um sistema fechado, no qual não existem incertezas e onde tudo funciona de forma calculada. Pense bem: aTeoria da burocracia está pouco ou muito presente nas organizações do mundo atual, como, por exemplo, na
escola?
Página 88


Enquanto o planejamento é um processo em que se envolvem uma ou mais pessoas para pensar os melhores meios de realizar uma determinada tarefa, o plano é produto, é o resultado concreto do planejamento, como por exemplo, um plano de trabalho para a escola, plano de curso, plano de aula, etc.

Página 92
Você acha que cada pessoa ou grupo de pessoas deve seguir suas próprias orientações, ou pensa que é possível se chegar a um consenso, ainda que mínimo, visando a regulamentação da vida em sociedade?


Página 94
Você já parou para pensar que a confiança que as pessoas têm na Administração Pública varia, entre outros motivos, em função da eficiência do serviço que lhes é prestado?








Pratique

Pagina 20

Considerando sua experiência profissional, cite por que é importante conhecer diferentes concepções de educação. Apresente, no mínimo, três justificativas.

Pagina 21
Registre em uma folha de papel o que você entende por educação. Após a leitura desta unidade, retorne ao que você redigiu e veja de qual concepção de educação estudada o seu conceito se aproxima. Por último discuta os resultados disso com o seu tutor.


Página 23
Participe de um conselho de classe em sua escola e procure identificar que concepção(ões) de educação estão presentes na discussão realizadas nesse conselho.

Págia 24
Monte um quadro comparativo das várias concepções de educação discutidas até aqui. Identifique os pontos comuns entre elas. Em seguida,
justifique em que medida todas elas relacionam a educação à reprodução das condições sociais vigentes.

Página 28
Releia a idéia apresentada acima e redija um texto de, no mínimo, vinte linhas, analisando a importância da relação teoria e prática no trabalho que você realiza na escola. Depois, troque idéias a respeito do seu texto com o(a) tutor(a) e os colegas de curso. Por último, registre os resultados dessa discussão em seu Memorial.


Página 29

Localize no Projeto Político-Pedagógico (também chamado de Proposta Pedagógica) de sua escola a concepção de educação expressa nodocumento. Feito isso, comente, em um ou dois parágrafos, essa concepção. Depois, comente com seu tutor e colegas de curso a concepção identificada por você, indicando pontos de aproximação e/ou distanciamentos entre ela e as demais levantadas pelo grupo. Por último, registre os resultados dessa atividade em seu Relatório de Estágio.


Página 37
Faça um resumo das principais idéias abordadas neste primeiro item da unidade. Caso prefira, traduza suas idéias por meio de desenhos. Analise-os com o tutor

Página 37
Agora é sua vez: consulte no dicionário o que significa organização.


Página 38
Conceitue, com suas próprias palavras, o que você entende por organização.

Pagina 39
Identifique as organizações não-governamentais que existem em seu município. Liste as áreas em que essas organizações atuam. Alguma delas atua junto à sua escola? O que você pensa da atuação das ONG em serviços públicos como saúde e educação?

Página 40
Agora que discutimos duas classificações de organizações, pense na realidade do seu
município e identifique nele exemplos dos tipos de organizações estudados.


Página 43
Pense na forma como vem se dando a participação dos vários segmentos que formam a escola nas tomadas de decisões relativas ao trabalho na instituição onde você atua. Após analisar essa realidade, faça um texto de, no mínimo, vinte linhas, discutindo em que nível do esquema apresentado se encontra a participação em sua escola. Procure apresentar, no texto solicitado, os motivos e as conseqüências desse nível de participação.

Página 45
Reflita acerca do mundo das organizações e da forma como a escola nele se insere. Em seguida, descreva três situações ocorridas no interior da escola que, no seu entendimento, diferenciam esta organização das demais organizações sociais no mundo atual.

Página 49
Liste, pelo menos, quatro diferentes organizações sociais das quais você participa no dia a dia, em sua vida pessoal. Em seguida, aponte outras das quais você depende para realizar bem as suas atividades profissionais. Por último, registre as conclusões desta atividade em seu Memorial.

Página 58
Pense no funcionamento de sua escola como um todo. Considere todas as áreas da administração e, em seguida, analise em que medida as características apresentadas no quadro anterior se manifestam em sua escola. Não se esqueça de registrar os resultados
dessa atividade em seu Relatório Final e de discuti-los com seu(sua) tutor(a).

Página 64
Registre em uma folha de papel o que você entende por administração. Depois reflita sobre o que você registrou, destacando o sentido dos principais termos que você selecionou para emitir esse conceito. Por último, discuta-o com o seu tutor

Página 68
Pesquise em seu município os movimentos sociais que vêm pressionando o poder público para a definição e/ou implementação de políticas sociais diversas para a população local. Registre os resultados desta atividade em seu Relatório Final.

Página 69
Levante junto à Secretaria de Educação do seu município o número de analfabetos que
residem em sua cidade. Depois, calcule o percentual que isso representa em relação ao total da população local. Procure levantar, também, as causas desse índice. Registre os resultados dessa atividade em seu Memorial e, por último, discuta-os com seu tutor.

Página 69
Pesquise o que ocorreu no seu município entre os anos de 2004 e 2005, em relação à educação. Colete informações sobre matrículas na educação
básica – Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Caso você precise, pode consultar a Secretaria Municipal de Educação para obter esses dados. Depois monte um quadro comparativo, analisando:
a) o número de matriculados nos níveis indicados, no citado período;
b) as maiores variações no número de matrículas verificadas nos dois anos mencionados.


Página 71
Escolha uma grande ação da política educacional brasileira atual e mostre, por meio de um esquema, como essa ação é desdobrada no planejamento elaborado pela Secretaria Municipal de Educação e pela escola onde você atua. Registre a atividade sem seu memorial e discuta os seus resultados com o tutor e os seus colegas de curso.


Página 74
Faça um texto de, no mínimo, vinte linhas comentando como essas características vêm se manifestando no planejamento de sua escola.

Página 76
Entreviste algum técnico, gestor ou professor que trabalhe na Secretaria Municipal de Educação (se possível, o próprio Secretário de Educação) sobre:
a) como é feito o planejamento educacional para o seu município;
b) as políticas educacionais atualmente priorizadas no município;
c) as dificuldades que essa Secretaria enfrenta em relação à legislação educacional vigente.
Após analisar as respostas obtidas, registre-as em seu Relatório Final. Como de costume, discuta os resultados desta atividade com seu tutor.


Página 85
Faça uma pesquisa em sua escola. Verifique que planos foram elaborados e executados. Escolha um ou mais dentre eles e cheque com as pessoas envolvidas como eles foram desenvolvidos. Verifique a que área da escola o plano se dirigia (pedagógica, administrativa, financeira), quais eram as pessoas envolvidas (professores, alunos, funcionários, etc.) e se o plano e/ ou o desenvolvimento dele preencheram as características estudadas.


Página 86
Pense na realidade da escola onde você atua e identifique nela, pelo menos três tipos de tarefas executadas por diferentes pessoas. Elabore um quadro e nele escreva a função da pessoa (diretor, supervisor, merendeiro etc.) e a(s) atividade(s) principal (ais) desenvolvidas por ela.

Página 87
Elabore um texto de, aproximadamente, vinte linhas, avaliando a forma como o planejamento do trabalho de sua escola vem sendo realizado e os resultados observados a partir desse planejamento.


Página 91
Reflita sobre suas atividades profissionais e descreva quatro situações que tenham ocorrido em seu ambiente de trabalho e em relação às quais você sentiu que precisava repensá-las com uma preocupação ética.


Página 92
Assista a uma reunião na Câmara Municipal ou no Conselho Municipal de Educação, que trate de questões polêmicas em relação à educação e identifique que princípios de ética orientam as discussões travadas nessa reunião. Registre os resultados dessa atividade em seu Relatório Final, não se esquecendo de debatê-los com seu tutor.


Página 95
Pense na realidade da escola em que você atua e, em seguida, faça o que se pede:

a) analise em que medida os princípios éticos do serviço público, contemplados nesta unidade, vêm se manifestando em sua escola;

b) indique qual desses princípios está mais presente nas ações cotidianas dessa escola;

c) aponte o(s) princípio(s) que precisa(m) ser mais incorporado(s) pela escola, visando a garantir uma educação com qualidade social para todos;

d) liste os fatores que têm dificultado a vivência, pela sua escola, de todos os princípios éticos do serviço público, discutidosno texto;

e) levante algumas propostas que você entende que possam ajudar a escola como um todo a rever essa situação.


Página 96
Com base no texto lido e em sua experiência profissional, responda: a situação relatada
no texto já ocorreu em seu ambiente de trabalho, ao se discutir a responsabilidade de cada um na prestação dos serviços da escola pública? Em caso afirmativo, como isso aconteceu? Registre esta atividade em seu Memorial e discuta os resultados dela com os seus colegas de curso e com seu tutor


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário